Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

cduriotinto



Domingo, 13.11.11

IMI - TAXA MÁXIMA EM GONDOMAR (0,8%)

Desde a sua tomada de posse, que o Governo do PSD-CDS não tem dado descanso aos portugueses, uma vez que sucessivamente temos notícias do agravamento das suas condições sociais, seja no aumento de preços, como foi o caso das tarifas dos transportes, passando pelas “manobras” para obtenção de receita, que foi feita através da alteração de IVA, para o gás natural e electricidade...

Mas não é apenas a nível nacional que somos "metralhados" com aumentos, também localmente isso vem acontecendo, embora os gondomarenses menos atentos, muitas vezes não tenham informação sobre o que se passa no nosso Concelho... mas que também contribuem para o seu empobrecimento!

Recentemente a Câmara de Gondomar, aprovou taxas máximas sobre o IMI – Imposto Municipal sobre Imóveis –, em que o grupo de Valentim Loureiro contou com o apoio do PSD e CDS – que é não será novidade para ninguém – tendo em conta as políticas que são por eles seguidas a nível nacional a mando da “tróica”... e do grande capital!

 

Assim para o ano de 2012, a taxa máxima irá penalizar fortemente as famílias, que fizeram e continuam a fazer um enorme esforço para ter casa própria.

Tendo também em conta que os valores arrecadados com este imposto pela Câmara desde 2004, representam um crescimento médio anual de 8,5%, muito superior à inflacção, a CDU apresentou uma proposta alternativa para que a taxa fosse fixada em 0,4%, para prédios urbanos e em 0,2%, para os prédios urbanos avaliados nos termos do CIMI, que não passou...

Também, relativamente ao lançamento da Derrama sobre o lucro tributável sujeito e não isento de IRC, para o próximo ano a CDU propôs em alternativa à Proposta da Câmara Municipal, que fosse à taxa de 0,1% para as empresas sediadas neste Concelho, com um volume de negócios igual ou inferior a 150 mil euros e de 1,5% para as de superior a esse valor. Ainda, as empresas que demonstrem ter criado postos de trabalho, a redução em 50% nas taxas de Derrama aplicáveis.

Estas propostas e alternativas apresentadas na Assembleia Municipal não obtiveram aprovação, mesmo que elas fossem um forte incentivo às empresas, no sentido de se fixarem em Gondomar, onde o tecido empresarial é composto por 96,9% de micro-empresas, e em que muitas tem vindo a encerrar nos últimos anos, aumentando assim o desemprego, que em Agosto último se situava nos 12.343 desempregados.

Na opinião da CDU, a criação de emprego e produção de riqueza, deveria ser uma aposta desta Câmara através da redução da taxa de Derrama...

E no caso do IMI, muitos desses desempregados podiam assim ter uma pequena "folga" para fazer frente aos difíceis tempos que se anunciam para 2012...

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cduriotinto às 23:22



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

GABINETE CDU - GONDOMAR


EM DEFESA DOS CTT