Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

cduriotinto



Domingo, 10.07.11

SOBRE O RELATÓRIO DA COMISSÃO DE ACOMPANHAMENTO DO RIO TINTO E DAS DAS OBRAS DA LINHA DO METRO

Na Assembleia de Freguesia de Rio Tinto realizada em 27 de Junho passado, um dos assunto a tratar, referia-se à a Comissão de Acompanhamento da Requalifi­cação e Despoluição do rio Tinto e das Obras da linha do Metro, que tinha sido aprovada em Assembleia realizada em Dezembro de 2009.

Serve este texto para fazer uma breve síntese sobre o percurso da mesma, durante os 18 meses da sua existência e fazer alguns esclarecimentos sobre a posição da CDU e sobre o seu voto contra o Relatório apresentado na Assemleia de Freguesia realizada em 27 de Junho passado.

No terceiro mês de 2010, passados três meses da sua constituição e após insistência da CDU, a Comissão reuniu pela primeira vez, a fim de agendar os primeiros trabalhos.

Assim, iniciamos com uma visita a vários locais do curso do rio Tinto desde o Caneiro às Prelinhas e Campainha, das Piscinas até à Levada, passando também pela ETAR do Meiral.

 

Mais tarde, estando marcada uma reunião com as pessoas que foram lesadas pelas cheias de 21 de Dezembro, a Comissão foi convidada a estar presente, sendo apresentada como tal, ...mas apenas isso, porque ficou por aí, pois nunca teve qualquer informação acerca de como estavam a decorrer as iniciativas lavadas a cabo junto das companhias de seguros e das entidades responsáveisa que se recusavam a resolver a situação das pessoas e a resolução dos seus graves problemas.

De seguida foi marcada uma visita ao percurso do Metro, desde a Levada até à Estação de Fânzeres. Tivemos a presença por dois técnicos da Metro do Porto e por outras pessoas que nada tinham a ver com a Comissão. No nosso entender, aquela que seria uma oportunidade para tratar de assuntos sobre a matéria para que a Comisão foi constituída, acabou por se transformar mais numa “visita turística” do que uma visita técnica, pois na comitiva não ia nenhum técnico – da Comissão – que pudesse questionar e abordar algumas das decisões levadas a cabo durante a construção da linha do Metro e que levantasse questões sobre as causas da destruição da cascata, da ponte na Levada, do talude junto ao Centro de Saúde, etc., etc..

Após essa visita e por acordo das forças políticas, dois elementos da Comissão, ficaram responsáveis pela apresentação do Relatório, que foi sendo adiado por motivos de desencontro de datas, mas que compreendemos e respeitamos... embora esse atraso acabasse por retirar valor e oportunidade na denúncia de alguns factos.

Finalmente em Abril de 2011, recebemos o dito Relatório que foi assinado pelo eleito da CDU, como tendo tomado conhecimento, mas que iria ser levado à discussão no seio da Coligação, o que é perfeitamente compreensível.

Próximo da Assembleia de Freguesia de Junho, recebemos a Ordem de Trabalho, que incluía entre outros a “Apresentação, Discussão e Votação”, ora aquilo que se esperava é que antes da Assembleia a Comissão reunisse a fim de que se tomasse uma posição sobre o que dizia o Relatório, uma vez que tinham sido enviadas cartas a várias entidades envolvidas, em que apenas uma deu resposta.

Assim a CDU teve uma posição que achamos no mínimo sensata, não concordou que se ficasse por aquele documento, mas que se denunciasse e enviasse a essas entidades algo a demonstrar o nosso descontentamento face ao desprezo que um assunto de tanta responsabilidade despertou para as entidades envolvidas.

Com a aprovação do Relatório daquela forma ficamos sem saber, quantos moradores foram indemnizados, quantos estão ainda à espera de verem os seus problemas serem resolvidos. Esta Comissão tinha também como objectivo dar atenção aos estragos causados nas ruas adjacentes e que em muitos casos ainda não estão concertados pelo empreiteiro responsável pela obra... e que muitas vezes foram objecto de moções aprovadas nas Assembleias realizadas...

Nesse sentido a CDU decidiu votar contra este Relatório, uma vez que era um Relatório inacabado, uma vez que o que ali estava descrito – que nós, no essencial estavamos de acordo – não responsabilizava ninguém pelo sucedido, para além disso, nada iria ser transmitido às entidades responsáveis pelas conclusões do Relatório da Comissão... ou seja tudo ficava virado para o interior da Assembleia, sem que aqueles que têm a obrigação e responsabilidades pelo sucedido nada recebecem a denúnciar os factos. Para além disso, ficamos com certeza que nenhum dos eleitos prsentes nesta Assembleia ficasse esclarecido sobre a real situação da população afectada e dos prejuízos da freguesia no que diz respeito a estragos de artérias, devido ao trânsito de máquinas pesadas durante a construção da Linha de Metro.

Com esta posição e aprovação por maioria da Assembleia de Freguesia, quem sai beneficiado são as entidades que estiveram no terreno, logo após as cheias em que prometeram as mais variadíssimas soluções, desde arranjos a estudos e que rapidamente se esqueceram, quem sai prejudicado são os riotintenses, que já há muito se habituaram a isso...

 

10 Julho 2011

CDU – Rio Tinto

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cduriotinto às 23:33


2 comentários

De Manuel Sousa a 11.07.2011 às 22:41

Francamente, não entendo como a CDU embarcou numa comissão para anestesiar o drama das familias atingidas e fazer passar a ideia de que o que havia sido destruido seria justamente reparado.

O PS continua em grande estilo... (compromisso. irresponsabilidade, incompetência e oportunismo) a defraudando os riotintenses jogando pelo lado dos interesses especulativos.

Quando é que a velha máxima cristã do ... perdoai-lhe que não sabem o que fazem... passa ao esquecimento?

De Manuel Sousa a 11.07.2011 às 22:44

E ao ver a foto do post, pergunto: e a levada? e os atravessamentos?

Comentar post



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




adermacchado