Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

cduriotinto



Domingo, 09.05.10

SERÁ ARROGÂNCIA OU IMATURIDADE?!

 

No passado dia 26 de Abril realizou-se a Assembleia de Freguesia Ordinária.

No Período antes da Ordem do Dia, a CDU apresentou uma série de documentos, todos referentes a problemas que dizem respeito à Freguesia de Rio Tinto.

Desde logo foi lida uma Moção sobre o Rebaixamento da Linha do Caminho de Ferro, (PS votou contra-1 abstensão), tendo de seguida feito um Requerimento no sentido de solicitar informações trocadas entre a Junta e a Refer, acerca do mesmo assunto.

Posteriormente apresentamos uma Moção ao 1.º de Maio, visto a nossa cidade também ter trabalhadores afectados pelo flagelo do desemprego e da precariedade (MRTC - abstenção?!?!), seguiu-se uma Moção relacionada com o encerramento da Esquadra da Areosa (votada por unanimidade).

Também apresentamos uma Saudação ao Movimento pelo Rio Tinto, referenciando todo o seu valoroso trabalho em torno do rio Tinto e da cidade...

No Período da Ordem do Dia, a CDU questionou o Executivo acerca de vários assuntos que estavam agendados, como algumas chamadas de atenção à forma como se estava a desenvolver o trabalho da Comissão de Acompanhamento da Requalificação e Despoluição do rio Tinto e das Obras da linha do Metro.

Nesta pequena síntese, está bem patente o trabalho desenvolvido pela CDU-Rio Tinto nesta Assembleia.

No entanto e após a mesma, Marco Martins, Presidente da Junta de Freguesia, teve uma postura nada condizente com a sua posição e responsabilidades, fazendo numa rede social o seguinte comentário "Na Assembleia ... que oposição tão fraquinha", palavras condenáveis a todos os níveis.

 

Na rúbrica "Vozes de Rio Tinto" do jornal Vivacidade de 6 de Maio, a CDU-Rio Tinto assina um artigo a esse respeito, que passamos a transcrever na íntegra:


SERÁ ARROGÂNCIA OU IMATURIDADE?!

No passado dia 26 de Abril, o Sr. Marco Martins resolveu dar largas à sua jactância, colocando numa das redes sociais, tão em moda na Internet, a seguinte frase: “NA ASSEMBLEIA DE FREGUESIA … QUE OPOSIÇÃO TÃO FRAQUINHA!”.

É inquietante que este “young boy” do PS ainda não tenha percebido que no Poder Local Democrático, conquistado há 36 anos com a Revolução dos Cravos, não há oposição fraca ou forte! Há órgãos autárquicos eleitos pelo Povo, constituídos por homens e mulheres com formações, experiências de vida e visões da sociedade diferentes, que se devem respeitar mutuamente.

Em vez de se “preocupar” com a “fraqueza” da oposição na Assembleia de Freguesia de Rio Tinto, o Sr. Marco Martins devia olhar-se ao espelho e reflectir sobre as suas próprias “fraquezas”. Devia rever o vazio do seu discurso e os efeitos das suas apequenadas propostas e assumir a responsabilidade por enterrar, com as suas posições, opções que, no conjunto, eram oportunidades únicas para a requalificação da Cidade e valorização dos seus recursos.

De acordo com o seu próprio conceito de “fraqueza”, ele é um presidente de Junta “fraco” porque não consegue convencer o seu partido – o PS – a usar a influência que tem em órgãos de decisão como o Ministério do Ambiente, a Administração da Região Hidrográfica do Norte, a Assembleia da República ou a Câmara de Gondomar para, de uma vez por todas, ser concretizada a requalificação e despoluição do rio Tinto!

Ele é um presidente de Junta “fraco” porque não tem “engenho” nem “arte” para exigir do Ministério do Ambiente, da Administração da Região Hidrográfica do Norte e da Câmara de Gondomar que as obras da linha do Metro preservem valores ambientais e paisagísticos e respeitem o património e memórias locais. Depois de garantir que nem mais um centímetro seria entubado acabou por aceitar que mais 60 metros de rio fossem encanados e centenas de metros desta linha de água fossem emparedados!

Ele é um presidente de Junta “fraco” porque – como ficou claro nas últimas reuniões da Assembleia Municipal de Gondomar e da Assembleia de Freguesia de Rio Tinto, onde o PS se absteve e votou contra, respectivamente, as moções apresentadas pela CDU contra a decisão do Secretário de Estado do Ambiente de viabilizar o projecto – aceita que a REFER execute a quadruplicação da Linha do Minho sem contemplar o rebaixamento da via férrea na Estação de Rio Tinto “a troco de um prato de lentilhas”, em clara oposição à exigência de moradores e comerciantes que defendem a requalificação e o reordenamento desta zona!

Ele é um presidente de Junta “fraco” porque está conivente com a decisão do Governo PS/Sócrates de desactivar a Esquadra da PSP da Areosa, medida que aumentará os problemas de segurança na zona Ocidental da Cidade!

Ele é um presidente de Junta “fraco” porque aceitou o encerramento e destruição do Mercado de Rio Tinto sem exigir uma alternativa para os comerciantes, alguns dos quais se viram obrigados a continuar a sua actividade no espaço para onde foi deslocada a Feira em condições extremamente precárias!

Projectos âncora como a despoluição e requalificação do rio Tinto, a reabilitação patrimonial e ambiental do seu vale, o rebaixamento da linha férrea na zona da Estação, a manutenção da Esquadra da PSP da Areosa e a modernização do Mercado de Rio Tinto, entre outros, que exigiam e exigem vigor e determinação, têm esbarrado na indolência do Sr. Marco Martins, em clara oposição aos interesses e futuro da Cidade.

Enfim, muitas mais “fraquezas” do presidente da Junta de Freguesia de Rio Tinto, passadas e presentes, poderiam ser enumeradas.

O Sr. Marco Martins pode considerar-se “forte” pelo número de votos que obteve em Outubro do ano passado – que os factos demonstram não merecer – mas, na realidade, emergem da sua cabeça impulsos e emoções que, além de o revelarem “fraco”, expõem a sua arrogância e imaturidade!

 

CDU-Rio Tinto

Autoria e outros dados (tags, etc)

por cduriotinto às 23:32



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




adermacchado